Mundo

17/10/2021 as 13:24

Após extradição de Saab, Venezuela não se reúne com oposição

Colombiano aliado de Maduro foi levado para os EUA

Agência: Ansa
Foto: EPA / Ansa / https://ansabrasil.com.br/ansausers/brasil/flash/internacional/2021/10/<?php echo $paginatitulo ?>

A delegação do governo da Venezuela que deveria ir para a Cidade do México neste fim de semana para a quarta rodada de negociações com os opositores desistiu de participar do encontro após a extradição do empresário Alex Saab por ordem dos Estados Unidos.

O colombiano é muito próximo do presidente venezuelano, Nicolás Maduro, e foi extraditado de Cabo Verde para Miami entre a noite deste sábado (16) e a madrugada deste domingo (17). Ele estava preso no país desde junho do ano passado.

O presidente da Assembleia Nacional, Jorge Rodríguez, principal expoente da comitiva do governo, considerou a extradição como um "sequestro", segundo o jornal "Ultimas Noticias".

"A vida de Saab está em perigo por obra de um sistema judiciário instrumentalizado para atacar a Venezuela. Essa ação ilegal e desumana, danosa para o direito internacional, constitui um novo ato de agressão dos Estados Unidos contra a Venezuela, dado que Saab está inserido em nosso país como membro a pleno direito do processo de diálogo e negociação que está sendo realizado no México", disse ainda Rodríguez à publicação.

Saab e seu parceiro de negócios Alvaro Pulido são acusados nos EUA de terem gerido uma rede que se aproveitava de ajudas humanitárias e de alimentos enviados à Venezuela, e também por lavagem de dinheiro, em valor estimado de US$ 350 milhões.

A quarta rodada de negociações deveriam começar neste domingo em vista das eleições legislativas de novembro. Até o momento, os encontros intermediados pela Noruega e realizados na Cidade do México desde agosto estavam apresentando bons resultados. O principal deles é a liberação de uma maior quantidade de partidos de oposição no pleito.