Mundo

20/09/2020 as 07:04

Nos EUA, uso da maconha vira questão dos estados, independente do Congresso

Até o fim do ano, espera-se que um em cada três norte-americanos viva em locais onde a substância é liberada

A Referência
Foto: Jirapong Pnngjiam/Pixabay)<?php echo $paginatitulo ?>

O ano de 2020 pode terminar com um em cada três norte-americanos acessando legalmente maconha recreativa em seus estados, apontou reportagem do último fim de semana do site Político.

A situação ocorre mesmo com a indisposição do Senado, controlado pelo Partido Republicano, de sequer incluir o tema na pauta de votação. Mesmo assim, a política federal é a abordagem histórica republicana de não interferir em assuntos estaduais.

Até o fim do ano, a legalização deve ser votada na Dakota do Sul, em Montana, no Arizona e em Nova Jersey. Nos dois últimos, pesquisas de opinião indicam apoio da população à maconha recreativa.

Se aprovadas nos dois estados, mais 16 milhões de norte-americanos teriam acesso à erva sem necessidade de justificativa médica. Também significaria que um terço da Câmara e um quarto do Senado representariam locais com maconha legalizada.

No total, seriam 100 milhões vivendo em estados com legalização aprovada.

Antes da pandemia, o governador de Nova York, Andrew Cuomo, havia posto a legalização da substância como “alta prioridade” para 2020. O surgimento do novo coronavírus e o alto contágio no estado, que se tornou em abril um dos epicentros globais da doença, atrasou os planos.

Outros estados que paralisaram – ao menos por ora – o debate sobre a legalização total são New Hampshire, Connecticut e Vermont. Em Nebraska, uma derrota judicial impôs freio à questão.

Ainda neste ano, é esperada votação a respeito do uso médico no conservador Mississippi. Se a medida for aceita, o estado sulista junta-se a Oklahoma, Utah e Arkansas na liberação da maconha medicinal.

Para lobistas consultados pela reportagem, a tese é a de que os representantes de estados onde a erva foi legalizada teriam problemas com suas bases caso a questão fosse votada e negada em âmbito federal.

O movimento de legalização da maconha começou há cerca de uma década, puxado pelos estados do Colorado, no meio-oeste, e de Washington, na costa do Oceano Pacífico.