Esportes

20/10/2019 as 19:25

Vasco quebra tabu contra o Inter em Porto Alegre e emplaca 3ª vitória seguida

O visitante respondeu em chute cruzado de Felipe Ferreira, que exigiu um salto e a espalmada de Marcelo Lomba

fonte
Foto: Carlos Gregório Jr/Divulgação<?php echo $paginatitulo ?>

O Vasco conquistou a sua terceira vitória consecutiva no Campeonato Brasileiro ao bater o Internacional por 1 a 0, neste domingo, no Beira-Rio, pela 27.ª rodada. O time carioca, em alta, já chegou aos 37 pontos e ficou bem distante da zona de rebaixamento. O clube gaúcho vive o seu pior momento na competição, tendo somado apenas seis pontos nos últimos sete jogos. Esta foi sua primeira derrota como mandante e ainda permitiu a quebra de um tabu de 12 anos sem perder para o Vasco em Porto Alegre. E o manteve com 42 pontos, em sexto lugar.

O Vasco já tinha antes vencido em casa o Fortaleza, por 1 a 0, e o Botafogo por 2 a 1, além de ter empatado fora sem gols com o Avaí, completando agora quatro jogos sem perder. Restou apenas ao Inter valorizar a grande atuação do goleiro Fernando Miguel, do time carioca, além de reclamar muito de um gol de D'Alessandro anulado após consulta ao VAR.

O jogo começou movimentado, com os dois times aproveitando o clima frio para acelerar o ritmo, tendo o Internacional no esquema 4-4-2, contra o 4-3-3 do Vasco. Com o duelo disputado em alta velocidade, os lances perigosos saíram de ambos os lados. O primeira do time da casa, aos 15 minutos, quando Guerrero fez o passe diagonal para D'Alessandro que na frente da área bateu muito embaixo da bola, que subiu bem acima do travessão.

O visitante respondeu em chute cruzado de Felipe Ferreira, que exigiu um salto e a espalmada de Marcelo Lomba. Na sequência, Rossi pegou o rebote e cruzou rasteiro em direção à pequena área e quase Heitor fez com contra na tentativa de aliviar com o pé esquerdo. Estas duas jogadas aconteceram aos 24 minutos.

No minuto seguinte, novamente, outra tentativa de D'Alessandro. Na frente da área, desta vez ele bateu com efeito e em curva exigindo grande defesa de Fernando Miguel que espalmou para escanteio. Nesta altura, o Inter já era melhor em campo, com maior volume. Aos 38 minutos, Patrick perdeu boa chance ao cabecear por cima do travessão o cruzamento perfeito de Heitor.

De tanto insistir, na terceira finalização D'Alessandro balançou as redes, porém, o lance foi anulado pelo VAR. O meia cobrou escanteio em direção à pequena área, onde o zagueiro Victor Cuesta se chocou com Henrique, mas o goleiro Fernando Miguel conseguiu dar um soco na bola e aliviar. O rebote ficou com D'Alessandro que bateu colocado no ângulo.

Chamado pelo VAR, o árbitro paulista Vinícius Gonçalves Dias Araújo demorou seis minutos para reconsiderar a sua decisão e anotar a falta. Além disso, o jogo ainda ficou mais dois minutos parado por causa das reclamações que, inclusive, valeram cartões amarelos para D'Alessandro e para o técnico vascaíno Vanderlei Luxemburgo.

No recomeço do jogo, Ribamar quase fez o gol carioca. Ele recebeu em velocidade e deu a cavadinha, mas a bola foi para fora. Para completar a lambança, o árbitro prometeu dar cinco minutos e acréscimos e se confundiu, encerrando o jogo no tempo normal gerando novas reclamações coloradas.

No intervalo, machucado, Ribamar ficou nos vestiários e Luxemburgo reforçou a marcação do meio-campo com o volante Guarín. O Vasco ganhou o setor e passou a criar chances, principalmente pelo lado esquerdo. E aos sete minutos saiu o gol Henrique cruzou no alto, com Marrony desviando levemente para o chute de Rossi. Marcelo Lomba deu rebote, a bola ficou quicando na área, Bruno Fuchs caído não aliviou até que Marrony empurrou para as redes.

Após alguns minutos de nervosismo, o Inter encurralou o Vasco em seu campo defensivo. Tanto que criou quatro chances seguidas para empatar. Com D'Alessandro aos 19, com Sarrafiore aos 20, e aos 21 e aos 22 em cabeceios de Cuesta, espalmados por Fernando Miguel. O goleiro já tinha neutralizado as duas oportunidades anteriores, virando o destaque do time visitante.

Na tentativa de revitalizar o Vasco, Luxemburgo promoveu outras duas mudanças. Tirou o meia Felipe Ferreira para a entrada do meia Marcos Júnior e depois com Gabriel Pec na vaga de Rossi. Aos 35 minutos, o técnico já levantou os braços e avisou seus atletas: "o jogo acabou". Era o recado para priorizar a marcação e fechar a defesa.

Mesmo assim, num contra-ataque, aos 37, quase Gabriel Pec pegou o passe de Marrony para ampliar o placar. Mas a bola pegou no seu joelho e subiu na dividida com Marcelo Lomba.

A melhor chance do empate esteve justamente com seu principal atacante: Guerrero. Após levantamento de Serrafiore, o atacante matou a bola no peito e fez o giro, mas acabou esbarrando na saída no chão de Fernando Miguel. Os últimos minutos foram de pressão colorada e catimba vascaína. Mas o placar não mudou.

Os times voltam a campo no próximo sábado, fora de casa. O Inter vai enfrentar o Bahia, em Salvador, na Fonte Nova, enquanto o vasco vai pegar o Ceará, no Castelão, em Fortaleza.

FICHA TÉCNICA

INTERNACIONAL 0 X 1 VASCO

INTERNACIONAL - Marcelo Lomba; Heitor, Víctor Cuesta, Bruno Fuchs e Zeca (Wellington Silva); Bruno Silva, Patrick, Edenílson e D'Alessandro; Nico López (Sarrafiore) e Guerrero. Técnico: Ricardo Colbachini.

VASCO - Fernando Miguel; Yago Pikachu, Oswaldo Henríquez, Leandro Castan e Henrique; Bruno Gomes, Richard e Felipe Ferreira (Marcos Júnior); Rossi (Gabriel Pec), Marrony e Ribamar (Guarín). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

GOL- Marrony, aos sete minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Vinícius Gonçalves Dias Araújo (SP).

CARTÕES AMARELOS - D'Alessandro, Patrick e Bruno Silva (Internacional). Guarín e Vanderlei Luxemburgo (Vasco).

RENDA - R$ 928.260,00.

PÚBLICO - 21.273 pagantes (24.908 total).

LOCAL - Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS).