Em Foco

17/10/2019 as 16:32

Filme italiano 'O homem sem gravidade' estreará no Netflix

Longa será exibido na abertura da Festa do Cinema de Roma

Agência: Ansa
Foto: Ansa<?php echo $paginatitulo ?>

(ANSA) - O filme italiano "L'Uomo senza gravitá" ("O homem sem gravidade", em português), que abrirá a 14ª edição da Festa do Cinema de Roma, entre 17 e 27 de outubro, estreará no próximo dia 1º de novembro no Netflix.

O longa, dirigido pelo italiano Marco Bonfati, conta com os atores Elio Germano, Pietro Pescara, Jennifer Brokshi, Michela Cescon, Elena Cotta, Silvia D'Amico e Vincent Scarito em seu elenco.

O drama italiano narra a história de Oscar (Pescara e Germano), uma criança nascida nos anos 1980 em uma noite de tempestade, no hospital de uma pequena cidade no norte da Itália. Logo em seus primeiros minutos de vida, algo extraordinário é percebido no bebê: ele não obedece à lei da gravidade e flutua no ar, diante dos olhos de sua mãe, Natalia (Cescon) e sua avó Alina (Cotta).

Ambas as mulheres fazem um pacto e decidem manter a criança escondida dos olhos do mundo por muitos anos. Somente a pequena Agata (Brokshi e D'Amico) fica sabendo do segredo. No entanto, já adulto, Oscar decide fugir da vila porque todos devem saber que ele realmente é um homem sem gravidade.

Após a fuga, o protagonista participa de uma competição internacional de homens e mulheres "estranhos" e, graças a seus poderes, se torna uma celebridade.
"A história de Oscar, um homem afetado pela ausência de gravidade, fala da dificuldade de ser puro, ingênuo, leve (em todos os sentidos) em um mundo opaco", explicou Bonfati.

Segundo o diretor italiano, "embora Oscar tenha um poder especial, o 'L'Uomo senza Gravitá' não é um filme sobre um super-herói, mas a história de um homem simples e puro que deseja ser aceito pelo mundo". "É um ser humano a quem foi negada a infância que, ao final de uma longa jornada em busca de si e do amor, entenderá que ser criança novamente é a única maneira de viver uma vida sem gravidade", acrescentou.

Já Germano, que interpreta Oscar na idade adulta, admite que seu personagem é "um super-herói muito particular". "Ele tem algo errado, talvez uma leveza excessiva, esse é o seu erro. E finalmente ele acaba sendo um anti-herói, porque, por exemplo, ele nunca usa seus superpoderes", finalizou. (ANSA).